marcaminas

 

Missão e Visão

Pontos de Cultura iniciam mapeamento e diagnóstico da rede

Teatro, audiovisual, dança, música, artesanato; culturas populares, eruditas, urbanas, do campo e da cidade; territórios, linguagens, projetos e ações; Minas e Gerais. Os nós que formam a Rede Mineira de Pontos de Cultura estão sendo mapeados. Nos próximos 10 dias, diversos dados de entidades e coletivos que constroem a Política Estadual de Cultura Viva serão coletados, em iniciativa da própria rede com coordenação e suporte do Observatório da Diversidade Cultural e financiamento coletivo via recursos da Lei Aldir Blanc. Para além de informações objetivas sobre cada Ponto de Cultura (endereço, contatos, principais atividades), o mapeamento irá levantar indicadores relativos à sustentabilidade de cada organização, tais como a capacidade de mobilização política no território, a adoção de estratégias de economia solidária, a participação em conselhos de políticas públicas e a interlocução com outros membros da própria rede. Uma compilação das informações coletadas ficará disponível no site criado pela Rede Mineira de Pontos de Cultura para abrigar informações geradas pela sociedade civil sobre as Política Estadual e Nacional de Cultura Viva. O objetivo, além de prestar contas à sociedade sobre as atividades, o funcionamento e as formas de financimento, gestão, participação e organização dos Pontos de Cultura, é gerar conhecimento para a regulamentação da Política Estadual em Minas Gerais. A lei 22.944/2018, que instituiu o Sistema Estadual de Cultura, estabeleceu conceitos e possibilidades para a gestão pública da Rede de Pontos de Cultura. No entanto, é preciso implementar na prática a legislação por meio de regulamento próprio que indique fontes e formatos de financiamento e contratação, mecanismos de ampliação da rede para territórios, linguagens e campos de atuação ainda não contemplados e ferramentas de participação da sociedade civil, tais como o Fórum Estadual dos Pontos de Cultura e o Comitê Gestor da Política Estadual de Cultura Viva. "O momento é crucial para a regulamentação. Precisamos aproveitar o engajamento gerado pela Lei Aldir Blanc para avançar na construção da política pública de cultura do Estado. Além da rede de Pontos, temos uma preocupação geral com mecanismos permanentes de incentivo à cultura de base comunitária, com uma política pública de Estado e não de governo", afirma o articulador da Rede Mineira de Pontos de Cultura, Franklim Drummond. Os Pontos de Cultura que quiserem participar do mapeamento deverão acessar o link http://cadastro.pontosdeculturamg.org.br/. O prazo final é dia 30 de junho, quarta-feira. O Observatório da Diversidade Cultural e a Comissão Estadual dos Pontos de Cultura também está oferecendo plantões de resolução de dúvidas sobre o questionário. Os Pontos de Cultura que participarem do mapeamento terão seus perfis publicados no site da Rede Mineira juntamente com o diagnóstico da Política de Cultura Viva. Informações
Link para questionário: http://cadastro.pontosdeculturamg.org.br/.
Quem deve responder: Pontos de Cultura homologados pela plataforma Cultura Viva, do Ministério do Turismo.
Prazo: 30 de junho.
Em caso de dúvidas: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.