marcaminas

 

Regionalização do Turismo

Semana de Museus em Minas Gerais debate a ressignificação desses espaços no contexto da pandemia

Com o tema “O futuro dos museus: recuperar e reimaginar”, a Semana Nacional de Museus em Minas conta com diversas atividades on-line. A Secretaria de Cultura e Turismo de Minas Gerais (Secult) promoveu debate com mesmo tema durante a abertura do evento, nesta semana, abordando a nova definição de museus, o futuro, a necessidade de (re)imaginá-los e o impacto da pandemia no setor turístico e cultural.

Participaram da mesa o secretário de Estado de Cultura e Turismo, Leônidas Oliveira; o subsecretário de Cultura da Secult, Maurício Canguçu; o superintendente Interino de Bibliotecas, Museus, Arquivo Público e Equipamentos Culturais, Alexandre Milagres; a coordenadora do Sistema Estadual de Museus de Minas Gerais, Pollyanna Lacerda Machado; a diretora científico-cultural do Espaço do Conhecimento da UFMG, equipamento do Circuito Liberdade, Diomira Maria Cicci Pinto Faria; o coordenador do Museu Casa Guimarães Rosa, localizado em Cordisburgo, Ronaldo Alves; e a representante regional do Comitê Gestor no mandato de 2018 a 2020 e atual representante do Comitê Gestor da região intermediária de Belo Horizonte, Cláudia Houara. A mediação foi feita pelo membro da DAIC e integrante do Comitê Educativo e Gestor do Circuito Liberdade pela Secult, Lucas Amorim.

O secretário Leônidas Oliveira abriu o debate ressaltando que, diante do momento tão atípico que o mundo vive, os museus têm um grande desafio: se reinventar, promovendo um novo modo de pensar. “Reimaginar os acervos requer de nós reimaginar também o próprio museu, entendendo o lugar que ele ocupa no mundo on-line e de um hibridismo cada vez maior entre o virtual e o presencial. Descobrimos, nesse momento, uma grande possibilidade de democratização das artes, de dar mais acesso e de fazer valer a cultura como um direito público. É o momento dos museus, que guardam a história e nos mostram o passado, nos fazer repensar sobre nós mesmos a partir do objeto. E que no pós-pandemia essas instituições tenham um papel mais presente na vida das pessoas, de transformar a nós todos e o mundo em um lugar mais humano”.

Já a professora Diomira Maria Cicci Pinto Faria falou sobre o que se esperar do futuro dos museus. “O conhecimento alarga o mundo de todos nós, então a função social dos museus é conter o acervo que nos conta a história humana por muitas perspectivas, e a partir daí podemos descobrir o que queremos ser no futuro. Então essa é a ideia de porque ter um museu no futuro, para ampliar nossas possibilidades”. 

O debate na íntegra pode ser conferido no canal do Youtube da Secretaria de Cultura e Turismo de Minas Gerais.