marcaminas

 

Regionalização do Turismo

Escritor Plauto Cardoso debate processo criativo de seu novo livro durante live da Biblioteca Estadual

Convidado do projeto “Novos Talentos”, o autor mineiro lança “Cartas à Humanidade”, coletâneas de crônicas inspiradas na trajetória da América Latina

Desdobramentos de um conjunto de crônicas são o mote da próxima edição do projeto Novos Talentos, da Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais. Na sexta-feira (30/4), o escritor Plauto Cavalcante Lemos Cardoso é o convidado do mês para conversar com o público sobre seu livro Cartas à Humanidade. O bate-papo, que será transmitido pelo Instagram da Biblioteca Estadual (@bibliotecaestadualmg), a partir das 15h, tem mediação de Eliani Gladyr.

Segundo volume de uma série de reflexões dedicadas à humanidade, “Cartas à Humanidade” pode ser entendido como uma sequência do livro Cartas a Gualeguaychú, também de autoria de Cardoso. Nesse novo trabalho, o autor conta com outros cinco escritores para dar corpo à obra e colocar um olhar mais apurado sobre a América Latina, principal inspiração de todo o conteúdo distribuído nas páginas do novo livro.

Para Cardoso, a presença de outros colaboradores na produção de Cartas à Humanidade torna a obra ainda mais instigante para os leitores. “Certamente você̂, assim como eu, se deleitará com a capacidade que os coautores têm para identificar, abordar, propor e expor a problemática da nossa sociedade moderna e, em particular, dos desafios ao enfrentar os problemas cotidianos do exercício da cidadania na América Latina”, destaca.

Segundo o escritor, as já conhecidas mazelas do povo sul-americano inspiraram as crônicas, cartas e reflexões presentes no livro. “Os desafios do flagelo da cidadania em nossos países, desde a educação de nossas crianças às omissões estatais na entrega de serviços minimamente dignos, o tratado de paz na Colômbia e segurança urbana, em geral, motivaram as cartas que estão postas na publicação”, comenta o autor.

Além das questões sociais e econômicas, a América Latina é vista pelo olhar do fotógrafo mineiro Gustavo Lacerda com a obra “Passagens”, o que, segundo Cardoso, representou um ponto chave para a organização do livro. “O livro dialoga explicitamente com a sua provocante e bela “Passagens”.

“Passagens” é uma espécie de releitura do espaço urbano e vazio no cotidiano das cidades, inspirada pelas narrativas do poeta francês Charles Baudelaire sobre as passagens parisienses do século XIX. Nessa releitura, o fotógrafo Gustavo Lacerda busca outras inspirações nos elementos dos centros urbanos para associar o distanciamento das pessoas quando estão nas cidades.

Ansioso para compartilhar suas ideias e inspirações com o público, o autor fala sobre o projeto Novos Talentos, da Biblioteca Estadual. “Acho genial que a Biblioteca tenha esse tipo de diálogo com comunidade. Para um escritor, seja ele iniciante ou já com algum reconhecimento, é uma grande honra e privilégio. Não se poderia pensar em melhor vitrine para qualquer escrita”, finaliza o escritor.

A Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais é um equipamento da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais (Secult) e integra o Circuito Liberdade, em Belo Horizonte.

 

miniplauto