marcaminas

 

Fundação de Arte de Ouro Preto

Filmes sobre os impactos da mineração encerram "Especial Meio Ambiente no Território Nacional", da Rede Minas, nesta sexta (30)

Faixa de Cinema vai exibir “O maior trem do mundo”, “Coração da divisa”, “O povo constrói”, “Inabitável” e “À Cura do Rio”

A Faixa de Cinema, da Rede Minas, encerra o “Especial meio ambiente no território nacional” exibindo filmes que têm, em comum, os impactos da mineração. Em documentários, experimentação e até ficção, os curtas-metragens “O maior trem do mundo”, “Coração da divisa”, “O povo constrói”, “Inabitável” e “À cura do rio” abordam a relação da preservação de áreas exploradas à falta de qualidade de vida de quem mora próximo à região. Algumas das obras apresentam, ainda, os danos ambientais provocados pela atividade e a ameaça às tradicionais comunidades. As obras vão ao ar nesta sexta (30), às 23h, pela Rede Minas. Para abrir a noite, o público confere “O maior trem do mundo”, de Júlia Pontés. A documentação e a denúncia sobre a devastação humanitária e ambiental rendeu à diretora a premiação Planetary Alliance, da Universidade de Harvard, da qual se tornou embaixadora. O trabalho de Pontés, que atualmente é bolsista da National Geographic Foundation, mostra o cotidiano na cidade de Catas Altas, cidade do Quadrilátero Ferrífero mineiro. O filme, baseado no poema de mesmo título de Carlos Drummond de Andrade, traz a realidade do trem carregado de minério em uma conversa entre moradoras do município. A obra chama atenção para a exploração dos recursos naturais e faz uma crítica à exportação da matéria-prima. O público desembarca, também, em Salto da Divisa, no Vale do Jequitinhonha. Lá é onde vive a tradicional comunidade de “Cabeceira do Piabanha”, no Parque Estadual do Cariri. Em meio às diversas nascentes, os moradores que lutavam contra os fazendeiros na década de 60 encontram nas jazidas de grafite novos adversários. O curta “Coração da divisa”, de Pedro Faria e Rurian Valentino, mostra a população local em uma batalha para preservar o modo de viver e o meio ambiente. Mariana, onde em 2015 aconteceu o desastre da barragem de Fundão, também é lembrada em dois filmes na noite desta sexta. “O povo constrói”, da Rupestre Filmes, mostra o cotidiano dos moradores atingidos pelo rompimento da barragem de Fundão e como se uniram em mutirões de solidariedade na busca de novos lares. Já “À cura do rio”, de Mariana Fagundes, mostra o rio Doce “doente” depois do desastre. O olhar é do povo Krenak, que dá nome às águas que cortam Minas e o estado capixaba de “Watú”. Os indígenas buscam, por meio de um ritual xamânico, a salvação do rio contaminado. Em uma ficção, o diretor Loïc Ronsse traz em “Inabitável” o primeiro encontro de extraterrestres com a Terra. No futuro, os seres de outro planeta logo verificam que o nosso mundo está inabitável devido à devastação causada por mineradoras. “O maior trem do mundo”, “Coração da divisa”, “O povo constrói”, “Inabitável” e “À cura do rio” vai ao ar no “Especial meio ambiente no território nacional”, da Faixa de Cinema, nesta sexta (30/04), às 23h, pela Rede Minas. A atração também pode ser vista, nesse mesmo horário, no site da emissora: redeminas.tv. O público ainda confere novidades sobre a Faixa de Cinema no instagram.com/faixadecinema.

COMO SINTONIZAR:
redeminas.tv/comosintonizar
A Rede Minas está no ar no canal 9 (VHF) ou 17 (UHF); Net 20 e Net HD 520; Vivo 9; One Seg (para celulares e portáteis) 9.3; e através do satélite Brasilsat C2 para a América Latina.

ACESSE AS REDES SOCIAIS:
www.redeminas.tv
facebook.com/redeminastv
instagram.com/redeminastv
twitter.com/redeminas
youtube.com/redeminas

 

miniredeminasabril

Imagem: "A cura do rio", de Lucas Campolina