marcaminas

 

Conselho da Empresa Mineira de Comunicação

Trilha Transmantiqueira é tema de webinário na Secult

Percurso ultrapassa mil quilômetros e projeto é baseado em três pilares: conservação, geração de emprego e renda e recreação de qualidade

A implantação do projeto “Trilha Transmantiqueira”, suas potencialidades turísticas  e desafios foram discutidos em mais um webinário promovido pela Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais (Secult). O encontro “Trilhas de Longo Curso Transmantiqueira – Pegadas que Conectam” é resultado de uma parceria com a Rede Brasileira de Trilhas de Longo Curso (Rede Trilhas) e foi transmitido ao vivo pelo canal da pasta no Youtube nesta terça-feira (15/6).

A subsecretária de Turismo da Secult, Milena Pedrosa, abriu o evento e falou sobre a importância do trabalho em conjunto para executar este projeto, que está alinhado ao Reviva Turismo e às novas tendências de viagem para o período de pós-pandemia.

“Dentro do programa Reviva Turismo, além de priorizar a biossegurança, a estruturação de destinos, a capacitação e a promoção e marketing do destino Minas Gerais, vamos trabalhar a segmentação turística de forma a desenvolver as potencialidades que se conectam ao turismo pós-pandemia. Nesta iniciativa grandiosa está o Trilhas de Longo Curso Transmantiqueira. Além de envolver cinco Instâncias de Governança Regionais certificadas pela Secult e 40 municípios mineiros, o projeto apresenta múltiplas possibilidades de trabalhar o turismo de aventura, o ecoturismo e o turismo de experiências, além de promover o desenvolvimento socioeconômico da região envolvida por meio da cozinha mineira, hotelaria e outros serviços de hospedagem, comércio local e outros fatores geradores de emprego e renda. É muito importante que o trabalho para colocá-lo em prática seja coletivo, e reforçamos que a Secult está à disposição para reforçar este time”, destacou Milena.

Com mediação do diretor de Qualificação e Capacitação da Superintendência de Políticas do Turismo da Secult, Márcio Ribeiro, o webinário contou com a participação do vice-presidente da Federação dos Circuitos Turísticos de Minas Gerais (Fecitur), Felipe Condé; do presidente e do diretor de Comunicação da Rede Trilhas, Hugo de Castro e Pedro Menezes, respectivamente; da professora e coordenadora do departamento de Turismo da Universidade Federal de Juiz de Fora, Luciana Bittencourt Vilela; e da coordenadora do Caminho de Cora Coralina, em Goiás, Alexandrina Alves.

Referências

Durante o evento foram mostradas referências nacionais e internacionais de Trilhas de Longo Curso, além da apresentação sobre o projeto “Transmantiqueira”, suas fases de implementação e os três pilares de desenvolvimento: conservação, recreação de qualidade e geração de emprego e renda.

“Como a trilha passa em regiões muito ermas, possivelmente as mais carentes, formadas em sua grande maioria por comunidades tradicionais que vivem da subsistência, a Trilha Transmantiqueira poderá trazer uma alternativa de renda para essas famílias, favorecendo a sua qualidade de vida. Nas áreas mais turísticas e desenvolvidas a trilha poderá ser uma catalisadora de emprego e aumento de renda, principalmente nos serviços de apoio ao turista, como hospedagem, alimentação e para reabastecimento. Já sobre conservação, o objetivo é criar corredores ecológicos, promover a manutenção e o reflorestamento, melhorando a qualidade ambiental de toda a região. A recreação de qualidade envolve o ordenamento do fluxo de visitação, ordenamento de locais de acampamento, diluição de sobrecarga e sinalização adequada, com indução aos trechos com maior beleza e segurança, minimização dos impactos e proteção da fauna e flora, além de proteger vidas”, comentou o presidente da RBT, Hugo de Castro.

Um dos exemplos nacionais discutidos no encontro on-line foi o Caminho de Cora Coralina, um trajeto de 300 quilômetros que compreende oito municípios de Goiás e pode ser percorrido a pé, de bicicleta ou a cavalo. “Implantar o Caminho de Cora Coralina como um produto turístico possibilitou um grande reconhecimento e valorização da nossa cultura, da nossa gastronomia e do nosso território, além de fomentar o desenvolvimento socioeconômico de toda a região. Tenho certeza de que não será diferente com a Trilha Transmantiqueira, que envolve mais de 40 municípios. Estamos à disposição da Secult e de todos os parceiros envolvidos para contribuir no que for preciso para esse projeto ser bem sucedido”, ressaltou Alexandrina Alves, coordenadora do Caminho de Cora Coralina.

Trilha Transmantiqueira

A Trilha Transmantiqueira (TMTQ) é uma trilha de longo curso (TLC) integrante da Rede Brasileira de Trilhas de Longo Curso (Rede Trilhas), que tem o intuito de conectar o Brasil de Norte a Sul através de trilhas caminháveis. A TMTQ é um importante pilar desse projeto porque corta a Serra da Mantiqueira de oeste a leste, tem percurso planejado para chegar a mais de 1.100 quilômetros de extensão e cruza mais de 40 municípios de Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro, promovendo a integração de mais de 30 Unidades de Conservação (UCs). A TMTQ privilegia a passagem por trilhas já consolidadas e contempla importantes atrativos naturais da região que oferecem ao viajante a oportunidade de viver os caminhos e montanhas da Mantiqueira de forma estruturada.

A Secult é parceira na implementação do projeto Trilha Transmantiqueira junto com instituições como Fecitur e UFJF, que também participaram deste encontro.

O webinário contou com mais de 200 visualizações e pode ser assistido, na íntegra, AQUI.

 Foto: Projeto Trilha Transmantiqueira

Foto: